Produção intelectual

Estante Expositiva: Prateleira 01


Maurice Bazin foi um cientista de interesses variados. Pode ser referenciado como físico, matemático, antropólogo, pesquisador, humanista entre muitos outros campos intelectuais de atuação. Ele começou sua carreira trabalhando com física pura e aplicada em universidades dos Estados Unidos, sua base de formação. Porém, não podemos esquecer que Maurice nunca deixou de fora o ideal de tornar o conhecimento científico acessível aos trabalhadores e ao cidadão comum.

Separamos aqui algumas obras que retratam o “Maurice Educador”. Esse intenso trabalho junto ao povo pode ser visto em sua obra Ciência e In-Dependência, e também no periódico Science for the People (Ciência para o Povo), ambos escritos nos anos 1970.


Nos anos 1980, já na PUC-Rio, Maurice implementou uma nova modalidade de popularização da ciência, fazendo exposições itinerantes em praças públicas. Suas obras deste período podem ser encontradas na Revista do Ensino de Física, da Sociedade Brasileira de Física, na Revista Alliage e também na publicação Comunicações do ISER.

Nos anos 1990, sua obra vai retratar seu trabalho no Teacher Institute, Instituto dos professores do Exploratórium. A formação de professores será retratada na série Teacher Activity: patterns e Math and Science Across Cultures. Em paralelo, publica na Editora INIJUI seu trabalho de colaboração com o Departamento de Educação da UFSC.

Nos anos 2000, Maurice vai se dedicar ao trabalho de educação indígena, que pode ser encontrado na Revista Alliage. Seu trabalho com educação etno-matemática está retratado na publicação do povo Tuyuka em sua língua de origem.